Screen Shot 2015-10-21 at 12.17.20 PM

CLAQUETE #02: LOLITA

  • Fernnando Sussmann

    Caramba que episódio f*da!
    Quando assisti esse filme fiquei com a impressão de que ela estava no controle, porem sabia que era baseado na visão do personagem principal o que não torna confiavel a narração. Sendo assim fica interessante por dar uma visão da história parecida com Dom Casmurro onde o protagonista culpa sua amada pelo que ocorreu na história. É obvia a diferênça entre os dois porque não tem a questão da idade dos protagonistas no livro do Machado, mas da um contraponto interessante no enredo de Lolita e discute questões morais. Esse incomodo causado, talvez mais no livro, creio que não vem de se envolver com os personagens simplesmente, porem te poem tão perto do personagem (uma das vantagens do uso da primeira pessoa) que faz com que você se colocasse no lugar dele (que lugar de merda alias).
    Outro ponto interessante que pode ter ocasionado a mudança no começo do filme pra não coincidir com o livro é que o livro usa o recursos metaforicos (se não me engano o famoso show don’t tell que o Ivan tanto fala e já usou o começo desse livro como exemplo se não me falha a memoria). Se puderem ler o trecho é o seguinte:

    “Lolita, luz de minha vida, labareda em minha carne. Minha alma, minha
    lama. Lo-li-ta: a ponta da língua descendo em três saltos pelo céu da
    boca para tropeçar de leve, no terceiro, contra os dentes. Lo. Li. Ta.

    Pela
    manhã ela era Lô, não mais que Lô, com seu metro e quarenta e sete de
    altura e calçando uma única meia soquete. Era Lola ao vestir os jeans
    desbotados. Era Dolly na escola. Era Dolores sobre a linha pontilhada.
    Mas em meus braços sempre foi Lolita.”

    Da pra ver claramente como te prende esse começo e dificilmente poderia ser adaptado a imagens

  • Fabio Augusto Montanari

    Muito bom o episódio, não vi o filme do Kubrick, só a refilmagem de 1997 e li metade do livro, e fiquei com muita vontade de ver o filme de 63. É impressionante a complexidade dos personagens, e imaginar que o filme tem 50 anos. Vocês me fizeram aumentar a minha lista de filmes a ver.